Entrevista com Isabela, uma brasileira em Chuncheon na Coreia do Sul

  • terça-feira, março 27, 2018
  • By Nicole Regiane
  • 0 Comments




Nesse #NADATEIMPEDE vamos conhecer mais sobre a Isabela, uma brasileira de Brasília de 23 anos (24 na Coreia) que mora em Chuncheon na Coreia do Sul com o marido coreano. Ela estuda coreano em uma universidade local e vem nos contar um pouco da experiencia dela e dar algumas dicas.



Imagem: Reprodução / em @BelaSande

- Você já foi sabendo coreano?

Um pouco. Da primeira vez que eu vim não sabia praticamente nada, mas estudei coreano por duas semanas enquanto estava aqui. Então quando voltei já sabia alguma coisa, mas bem básico.






- Como foi parar aí? Com quem você mora?
Meu namorado, atualmente marido, mora aqui então eu resolvi arriscar e vir morar com ele. As pessoas me dizem que eu tenho muita coragem para fazer uma coisa dessas, mas eu acredito que as coisas são do jeito que devem ser. Se desse certo, ótimo. Se não, é só voltar para o Brasil. Ainda bem que está dando certo! rs Eu moro com meu marido e três gatos - choco, pudding e summer. 

-  Como conseguiu seu visto? Foi difícil conseguir?
Eu tenho visto de estudante de língua coreana e é a universidade que se encarrega de preparar o visto, então não tive grandes dificuldades.

- Qual é o seu ponto turístico ou cidade favorita?
São tantos que não sei como escolher. Eu gosto muito de Insadong, um bairro com várias coisas tradicionais e lugares para comprar presentinhos, além de que lá tem o melhor chá de todos!

- Qual a maior dificuldade que passou por conta da língua?
Nada muito dramático, mas fico nervosa na hora de conversar com meus sogros. Aqui tem o modo de falar muda de acordo com a idade da pessoa, mais formal ou mais informal, tenho dificuldade de escolher o vocabulário certo para falar com as pessoas.

Imagem: Reprodução / em @BelaSande
- Qual costume dos coreanos você acha mais diferente? E qual você não consegue se acostumar?
Não é exatamente um costume, mas aqui as encomendas chegam muito rápido, um ou dois dias e já estão tocando sua campainha. Eu realmente fiquei muito surpresa pois no Brasil cheguei a esperar meses por uma encomenda.

Um costume que não consigo me acostumar é a cultura de fazer as coisas muito rápido, muito rápido mesmo. Sempre me considerei uma pessoa apressada que faz as coisas rápido, mas aqui me sinto uma tartaruga. Ir ao mercado pode ser um pouco estressante por causa disso, principalmente se você pagar em dinheiro. Ninguém espera você empacotar as suas comprar, é tudo muito rápido kkk além disso, sou sempre a última a terminar de comer.
Imagem: Reprodução / em @BelaSande

- O que mais gosta de assistir? Indicaria alguma serie ou drama para os leitores?
Gosto de assistir programas de variedade em que eu possa ouvir coreanos falando naturalmente, sem script, pois me ajuda a praticar a língua. Eu indico hyori's bed and breakfast. O clima do programa é muito aconchegante e faz a gente se sentir próximos dos participantes.

- Qual a maior mentira que você já viu na internet sobre a Coreia?

Coreano come kimchi toda hora! Realmente eles comem bastante, mas não em todas as refeições como já vi muitas vezes na internet. As pessoas mais velhas comem mais kimchi mesmo, mas arrisco dizer que tem muita gente que não como com muita frequência. Meu marido e meus sogros, por exemplo, não comem todos os dias, quem dirá em todas as refeições.

- Tem alguma coisa que gostaria que tivessem te contado antes de mudar para aí?
Queria que tivessem me contado que o verão aqui é muito quente! Nunca passei tanto calor igual aqui.


Imagem: Reprodução / em @BelaSande
- Qual a situação mais embaraçosa que já passou aí?Quando espetei uma colher no arroz. Não sabia que isso só é feito para reverenciar pessoas que já faleceram. Quando me contaram logo tirei os palitinhos, mas até hoje fico pensando nisso.

- Como você é tratada pelos coreanos?Sou tratada super bem. Apesar dos olhares curiosos que recebo nunca fui desrespeitada. Os coreanos são bastante amigáveis, mas muitos tem um pouco de medo de falar com estrangeiros, acredito que por causa da barreira linguística

- Qual comida você indicaria e qual você não gosta tanto?Comida que eu indico é Mak-guksu com certeza! É a minha comida preferida, se pudesse comeria todos os dias. Mak-guksu é um macarrão frio com molho apimentado (os coreanos adoram pimenta, as vezes até de mais kkk) e vegetais. Aliás, a cidade que eu moro é famosa por esse prato. Como sou vegetariana a variedade de comidas coreanas que eu posso comer é um pouco limitada, mas eu gosto de tudo que já provei!

Imagem: Reprodução / em @BelaSande
- Qual dica você daria para alguém que pensa em ir estudar na coreia?Se informe bastante antes de fazer a decisão de vir para cá. Tenha certeza de que é isso que você quer fazer. A educação na Coreia é bem rigorosa e o método de ensino é bem diferente do Brasil então pesquisar sobre o lugar que você pretende estudar é muito importante. Outra dica é não tenha medo de se arriscar!

Gostaram de conhecer a Bela? Aproveita e confira os outros vídeos do canal dela: Bela Sande, e confira o instagram: @BelaSande.

Quer contar a sua história aqui? Entre em contato que vou adorar te entrevistar.

Para acompanhar um pouco mais das minhas aventuras, é só seguir nas redes sociais: 

Me chamo Nicole. Nasci em Brasília, mas moro no Canada. Acredito que cada lugar nos marca de alguma maneira. Criei esse blog para compartilhar as coisas que amo com vocês.

You Might Also Like

0 comentários